WPP – World Press Photo

Encerra amanhã, 3 de junho, na Caixa Cultural, a exposição com as fotos premiadas pela WPP.  É uma exposição de qualidade, com fotos impactantes feitas por profissionais de todo o mundo. Como diz no folheto da exposição: “Buscamos inspirar a percepção de mundo através do fotojornalismo de alta qualidade. A organização visa atrair um grande público a fim de promover o interesse e apreço pelo trabalho do fotógrafo, assim como estimular a livre troca de informações“.

Assim como esta, outras grandes exposições de fotografia aconteceram no Rio de Janeiro e eu não percebi uma discussão sobre elas no meio fotográfico, principalmente nas listas de fotografia ou nas mídias sociais. As pessoas não estão indo nas exposições ou não as estão comentando, o que é estranho, pois são postadas nas listas toneladas de fotos e qualquer foto chata, sem graça, repetitiva é comentada com entusiasmo e elogiada desde que pertencentes a alguém da tribo.

Acho que as pessoas estão preferindo ver fotos no monitor, qualquer foto, do que ir às exposições, sendo que não há comparação possível entre uma foto impressa, especialmente as de tamanho grande e o que se vê na tela de um monitor, por melhor que seja. O que é uma pena.

A fotografia, nessa era digital, mais do que popularizada foi vulgarizada.
Não se percebe mais a diferença entre uma boa e uma má fotografia. Os critérios não existem e qualquer bosta pode ser incensada.

Está havendo uma super exibição de fotos na internet e eu não sei se isso é bom ou não. Não estou falando da produção de imagens e sim de sua exibição sem critério.
Eu estou empapuçado de ver fotos e mais fotos, qualquer que seja o lugar para onde navegue e não aguento mais ver fotos com temas repetidos à exaustão, absolutamente tediosas, sem qualidade, sem interesse, invadirem minha cabeça diariamente. Há um excesso de exibição, uma saturação de imagens.
Pela quantidade perde-se a noção da qualidade.

Isso tem jeito? Acho que por enquanto não.
Parece que hoje as pessoas preferem ficar em casa vendo fotos no monitor do que sair à rua e  encontrar gente e discutir fotografia ao vivo.

No Jurássico Superior nós nos encontrávamos nos bares, após o trabalho, para discutirmos as fotos que havíamos visto nos jornais, revistas ou exposições e isso era uma aula, um aprendizado que não tem substituto.

Mas como dizia minha avó: “O que não tem remédio, remediado está”, então vamos celebrar as boas fotos, pois elas ainda existem.

Voltando ao início desse post vamos então à exposição do WPP.