ART RIO – O Rio se orgulhou

 

Terminou este fim de semana o ART RIO, evento que movimentou a zona portuária, em processo de revitalização (parece que a sério deste vez) com o projeto Porto Maravilha.
A organizadora Elisangela Valadares explicou a escolha da região portuária para a realização da feira:
“- Escolhemos o Píer Mauá porque não podíamos ficar fora dessa revitalização incrível do Porto Maravilha. Os armazéns atendem perfeitamente a nossa ideia de crescer cada vez mais, pois é um lugar fantástico e com potencial enorme. O Rio de Janeiro é o celeiro das artes. Os principais artistas brasileiros são cariocas. Queremos fazer uma transformação na história da arte nessa cidade”.

Foi um evento espetacular e o Rio se orgulhou de tê-lo proporcionado.

Como sou fotógrafo e não crítico de artes, deixo aqui parte da minha impressão visual do evento.













E para terminar o dia, nada melhor do que um belo entardecer, justificando o nome do projeto: Porto Maravilha!

Anúncios

Fototech-Rio e o dia da fotografia

A Associação de Fotógrafos Fototech, através de sua regional do Rio de Janeiro, promoveu uma projeção de fotos de seus associados em homenagem ao dia mundial da fotografia. Vinte e nove  fotógrafos, profissionais e amadores, participaram enviando  fotos que registrassem sua visão sobre o Rio de Janeiro.
Para ver o vídeo com a apresentação completa siga esse link:

http://www.fototech.com.br/blog/2011/homenagem-carioca-ao-dia-mundial-da-fotografia

Também participei do evento e mostro aqui  as 5 fotos minhas que foram selecionadas e fizeram parte do vídeo.

Parabéns à Fototech-Rio e aos fotógrafos que participaram desse evento.

O desencontro e a Floresta

Acordei e, como tinha planejado,  fui para a cidade encontrar com Delfina e um sobrinho dela, de Brasília. Tinha planejado irmos a várias exposições de fotografia que estariam sendo exibidas no Centro de Artes Hélio Oiticica e em galerias ao redor.
Digo “estariam” pois não não estavam mais. Lá chegando encontrei as portas fechadas, pois as exposições já haviam terminado há uma semana e eu, ao escolher as exposições,
não reparei no dia do término. Detalhe besta.
Sem ter o que fazer fui dar um passeio com o sobrinho pela cidade e resolvi ir à Floresta da Tijuca.
Duas de suas principais atrações, a par a magnífica floresta que foi toda plantada por ordem de D. Pedro II e que se transformou na maior floresta urbana do mundo, ficam logo no princípio. A Cascatinha Taunay e a Capela Mayrink.



Vista do altar, com os painéis de Nossa Senhora do Carmo, São Simão Stock, São João da Cruz e o Purgatório, obras de Cândido Portinari, ofertados pelos moradores do Alto da Boa Vista.
Daí pode-se pegar uma pequena trilha, margeando um rio, que conduz ao Centro de Visitantes, onde rola uma bem montada exposição sobre a Floresta da Tijuca.


Isso é só o começo. A Floresta é muito grande e oferece muitas atrações, principalmente se você gosta de andar a pé ou de bicicleta, pois existem muitas trilhas e em todo o parque há ciclovias.

Voltando para casa me deparo, ao parar num sinal de trânsito, com essa cena. Uma artista de rua e um espectador sério e super atento.
Não têm nada a ver com a Floresta, mas achei legal e resolvi postar também.